quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Uma análise de "OS ASTROS" 1977/2011


Por Mauro Alencar


Entramos na reta final de O Astro, para isso resolvemos convidar um especialista em novelas para comentar esse grande sucesso. Trata-se de Mauro Alencar, que teve a oportunidade de acompanhar as duas versões da novela. O nosso convidado é integrante da Academia de Artes e Ciências da Televisão de Nova York, tem doutorado em Teledramaturgia Brasileira e Latino-Americana - USP. Mauro escreveu alguns livros como: A Hollywood Brasileira - Panorama da Telenovela no Brasil, Selva de Pedra, O Bem-Amado, Pecado Capital, Roque Santeiro e Vale Tudo. Incansável, ele também é Membro da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação – Intercom e Asociación Latinoamericana de Investigadores de la Comunicación – Alaic. Confira com exclusividade seu texto sobre as versões de 1977 e 2011.



Além da estrutura (a versão original tinha 186 capítulos e esta novela contará com 64 capítulos), os dramas da família Hayalla e dos demais personagens seguem a necessária atualização quando transpostos para o século XXI. Neste quesito, os adaptadores Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro foram particularmente felizes ao imprimirem um tom escancaradamente passional à maioria dos personagens. Operaram, portanto, grandes transformações em personagens como Neco (Humberto Martins) e Natalino (Antonio Calloni).


O mesmo pode-se dizer das relações, mais intensas. Destaco também a atualização do patriarca Salomão Hayalla (Daniel Filho), executivo que bem poderia ser filho do Salomão (Dionísio Azevedo) originário de Janete Clair. Ou seja, manteve-se o melodrama característico da novela produzida em 1977/ 78 - lembrando que melodrama não significa necessariamente algo meloso ou edulcorado e sim uma característica de comportamento de personagem surgida nas óperas italianas no século XVII e no teatro dramático francês em 1800 - porém com matizes próprios dos entrelaçamentos sociais e psicológicos deste século.
Transpõe-se, portanto, toda a exemplar estrutura dramática criada por Janete Clair para a multifacetada sociedade do século XXI com seu protagonista Herculano Quintanilha a nos encantar com seus tremores nas mãos e sua alma de artista...




4 comentários:

  1. Texto do Mauro Alencar no Cabide? Não é pra qualquer blog, hein Seu Fábio?

    Curti pela participação!

    ResponderExcluir
  2. Alcides Nogueira por Email:

    Oi Fábio,
    O aval do Mauro é precioso. Fiquei felicíssimo.
    Vou escrever a ele, agradecendo.
    e obrigado a vc, tbém, por ter me dado o toque.
    Seu blog é ótimo!!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Texto provido de muito conhecimento. Notável.
    Parabéns pela ilustre participação de Mauro Alencar...

    ResponderExcluir
  4. Parabéns a equipe o Cabide pela participação de Mauro, um profundo conhecedor do assunto.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação e presença! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...