sexta-feira, 30 de março de 2012

PINTEREST: o seu mural de imagens (se você tiver tempo!)

Por Lucas Nobre

Quem dominou a lógica do microblog Twittter e também da rede social Facebook não vai ter grande dificuldade em entender o Pinterest e seus alfinetes. Estamos falando na recente vítima do chavão “a mais nova sensação do momento” nos blogs e sites especializados.


Vale uma comparação levemente tosca para explicar a quem não teve tempo, paciência ou saco de pesquisar sobre essa novidade. Enquanto que o Twitter podemos ver como um mural cheio de post-its com recados de até 140 caracteres, no Pinterest temos o mesmo mural virtual usando algo que vale mais que mil palavras: imagens (próprias ou da web).


Apesar do design extremamente simples e sem muita pretensão, a primeira impressão é de estranheza para quem não usa esse recurso para fins profissionais.

Mas é só dar aquela fuçadinha que a lógica da distribuição das imagens divididas por temas é entendida e o Pinterest mostra que não é um bicho de sete cabeças.

A lógica do alfinete

Você pode "alfinetar" (pin) imagens e vídeos sobre coisas que você realmente gosta como arquitetura, viagens, filosofia, artes até mesmo coisas pouco convencionais de serem postados como artes em cordões de persianas, ornitorrincos e formatos de pedras que você vai chutando do meio da rua até chegar em casa (vai dizer que você nunca fez isso?).

Esganado do jeito que sou, claro que procurei perfis sobre comidas e seguido vejo atualizações de alfinetes na categoria Food and Drinking.


Você, na realidade, já sabe usar o Pinterest se os três pontos abaixos não forem novidades na sua rotina de usuário de redes sociais:

  • A lógica de seguir (follow) do Twitter se aplica no Pinterest e você pode acompanhar uma pessoa se gostar dos alfinetes que ela costuma postar.
  • Se curtir muito um alfinete, pode clicar em Like (que nem no Facebook).
  • Quando a vontade for a de compartilhar esse mesmo alfinete com os seus seguidores, basta um clique em Repin (mesma lógica de um retweet do Twitter)

A vantagem é que essas mídias postadas nos alfinetes são, em sua maioria, creditadas. Ao fixar um alfinete em seu perfil, você tem a opção de usar uma imagem (criativa!) de sua autoria ou usar a URL da imagem.

Ou seja, ao clicar em uma imagem não abre-se apenas uma janela para vê-la em tamanho maior, mas sim é possível ir direto no site onde a mesma está hospedada.

Entenderam a (boa) malícia da coisa? Os profissionais de marketing digital sim.

Algumas empresas não perderam tempo e já estão criando ações de disponibilizar seus catálogos de produtos e ofertas dentro deste serviço. Dicas de como maximizar esses resultados podem ser lidos no TechTudo.

Essa lógica da atração de conteúdo por meio de imagens fez com que nos Estados Unidos houvesse uma taxa de encaminhamentos para sites externos muito maior do que no Twitter.

Como fazer o seu Pinterest?

Tem que ter um convite. Mas não naqueles moldes de quando surgiu o Orkut (alguém lembra? Tinha até comércio disso!). Basta clicar aqui, cadastrar o seu e-mail no campo Email Address, clicar em Request Invitation e aguardar uma mensagem dizendo que você já pode utilizar esta rede social.

A minha autorização demorou poucas horas para chegar, mas um amigo de Facebook me relatou que há tempos se cadastrou e até hoje está no aguardo. Se ele fizer parte de alguma associação de minorias, poderia alegar discriminação. Brasil né... Mas como não é o caso, o melhor é insistir.

Vai pegar?

O número de usuários brasileiros ainda é de pouca relevância, mas é bom não subestimar. Afinal, quantos usuários tupiniquins usavam o Facebook e Twitter nos seus primeiros anos?

Desde que o morimbundo Orkut surgiu e “pegou” por aqui, estamos acostumados a ver redes sociais surgirem em sequência. Algumas vingam, outras morrem na praia.

Mas no caso do Pinterest, as evidências que temos até agora é que o termo “alfinetar” entrará no vocabulário dos internautas brasileiros muito antes de surgir uma versão em português (mal traduzida pra variar, que nem o Foursquare que de tão ridícula chega a ser engraçada).

Eu já criei o meu, agora é procurar quem queira me doar algumas... horas! Só assim para conseguir administrar tantas redes sociais ao mesmo tempo. Alguém me “alfineta” no meu Pinterest uma sugestão de como resolver isso?

Ah, e O Cabide Fala também está no Pinterest, clique aqui para conhecer a página!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação e presença! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...