domingo, 15 de julho de 2012

ENTREVISTA: Adriana Esteves fala tudo sobre a Carminha de "Avenida Brasil"




Nos principais bairros de São Paulo há circulação de revistas que levam o nome dos mesmos. Em Moema, bairro a qual eu resido, este mês traz na capa Adriana Esteves falando em uma ótima entrevista sobre sua incrível personagem no sucesso "Avenida Brasil". Me senti na obrigação de compartilhar a mesma aqui, pois infelizmente é uma tiragem de 35.000 exemplares e tem circulação apenas no bairro! Confiram e se deleitem com a entrevista publicada na revista Moema & Campo Belo elaborada por Márcio Mello.

1. Você é uma atriz experiente e já fez vários trabalhos na TV. Mesmo com o texto de João Emanuel Carneiro já vir bem explicado, onde você foi buscar referências para compor a personagem?
Eu já tinha certas referências, a própria dramaturgia, os casos reais que a gente vê por aí e ainda tem o olhar do ator, que é extremamente observador. A partir do momento que colocam o desafio na minha mão, fico com os meus olhos e ouvidos completamente voltados para a personagem. Mas o meu desafio é o sempre de fazer melhor possível. Tudo o que me acontece pode me inspirar. Eu vi filmes, mas não posso citar porque eles são o que posso chamar de minha "joia rara". Se eu abrir a minha caixinha de surpresas, todos ficam sabendo de tudo. Um dia abro, provavelmente quando acabar a novela. Antes serve de acalento, de porto seguro. É a fonte de onde eu monto a minha personagem. Ela, como uma grande vilã, precisa da inteligência de quem escreve e de quem atua. Não é fácil fazer uma grande vilã. O trabalho é árduo e em equipe.

2.Você fala que o resultado da personagem se deve também ao trabalho em equipe. O que realmente destacaria de ponto alto nessa construção da Carminha?
Sem dúvida o trabalho é todo feito por uma equipe grande. Tive uma caracterização maravilhosa, uma figurinista de primeira ao meu lado. E tudo ajudou na criação da personagem. A motivação da Carminha é a maldade. É difícil a traduzir usando apenas uma palavra, uma frase.

3. Em "Avenida Brasil" você passa boa parte das cenas contracenando com Débora Falabella. Como tem sido a experiência em dividir as cenas com a atriz? Essa é a primeira vez que trabalham juntas numa novela?
Eu tenho uma admiração muito grande por ela. Nós nunca tínhamos trabalho juntas, mas eu já vinha acompanhando a trajetória dela há um bom tempo. Posso afirmar que é um prazer enorme saber que vamos ter muitas histórias pra contar juntas, durante um ano inteiro.



4. Além de Débora Falabella, você passa boa parte das cenas da novela contracenando com Marcelo Novaes, que dá vida ao Max. Ele é o grande parceiro de vilania de Carminha?
O Marcelo é um parceiro de vida. Na trama, a Carminha e o Max se conhecem desde pequeno, numa pobreza, numa miséria grande, em todos os sentidos. Eles sobrevivem a isso tudo e formam quase um pacto. Os dois são unidos, mas a Carminha é esperta e tenta tirar proveito, em relação a ele, em certas situações. Mas os dois são parceiros de vida. Essa novela está sendo ótima e fico feliz porque estou trabalhando com um mega amigo que é o Murilo Benício, que também a primeira vez que contraceno.



5. Em "Avenida Brasil" Carminha é dissimulada, má e não mede esforços para alcançar seus objetivos. Você está preparada para ser parada nas ruas e ouvir muitas reclamações dos fãs, no bom sentido, por conta das maldades da personagem?
Estou sim! E, sinceramente, é isso que quero. Com o desenvolver da trama é que as coisas vão acontecendo. Só vivendo mesmo o dia a dia para saber como será a reação do público.

6. Apesar de Carminha ser a grande vilã da história, ela tem um traço de humor e também um lado bom, verdadeiro, ao se aproximar de Nina, demonstrando gostar da empregada. Ou seja, a personagem tem seu lado bom?
Ela tem humor, tem boas tiradas, é esperta e sempre está ligada em tudo. Acho que o humor está ligado a uma coisa que é trágica, engraçada mesmo. A Carminha tem inteligência, é ardilosa e tem humor como qualquer pessoa inteligente. Ainda não existem bordões, mas isso pode surgir com o tempo. Ela é uma personagem rica de ser trabalhada e espero que caia no gosto do público. Quero que eles a assistam todos os dias. Mas é preciso entender que as maldades da Carminha estão ligadas a questão de sobrevivência dela, de onde ela veio. Ela é uma sobrevivente de toda sua história de vida.



7. Seu filho Vicente assistia a novela "Morde & Assopra". Agora você vai deixá-lo assistir as cenas de Carminha, em "Avenida Brasil"?
Com certeza, não! Não é uma novela pra ele, inclusive, às 21 horas, Vicente já está dormindo. Ele disse que tinha me ajudado contando todas as histórias dos dinossauros, que tinha me ensinado tudo sobre dinossauros (risos) na outra novela. Mas essa ele não vai assistir. O Felipe, de 12 anos e a Agnes, com 14, talvez vejam. Vou avaliar tudo junto com os pais deles.

8. Personagens como a que você vem interpretando em "Avenida Brasil" exige bastante do ator. É difícil se desligar de um trabalho com uma carga emocional tão grande? Você consegue se desligar de tudo e voltar para casa normalmente?
Eu desligo, sim! Até porque eu tenho uma família linda, um marido deslumbrante e claro que tenho que me desligar do trabalho! Num trabalho assim, o ator tem que dar o corpo. E nesse sentido é pesado, mas é a minha profissão e tenho que ter um mecanismo de defesa. Por isso, se desligar de tudo, assim que deixo o Projac, é importante.




9. Por ser uma antagonista, ainda mais de uma novela do horário nobre, o ritmo de gravação é bem intenso. Você acredita que Carminha é a personagem que esteja lhe exigindo mais até hoje, se comparada com tantas outras que você já fez?
Não sei te dizer se é a que mais exige. Porém, está puxado. Se me perguntar se estou gostando? Estou adorando! Tenho que imaginar coisas difíceis, coisas essas que a gente queira fugir, que não gosta nem de pensar, nem de imaginar. E faço isso para dar vida a Carminha. Mergulho fundo no mundo dela e estou disposta dar a cara para isso. Estou disposta mesmo a prestar atenção nisso. Não quero colocar nada para baixo do tapete, mas te respondendo, nesse sentido é pesado. A minha profissão tem um mecanismo de defesa, de se desligar rápido do mundo do personagem ao chegar em casa. Até porque tenho uma família linda, um marido deslumbrante e tenho sim que me desligar dela.

10. Você tem 23 anos de profissão e personagens marcantes nos folhetins. Faltava ainda fazer a grande vilã da trama do horário nobre?
As coisas vêm muito para minha mão. É impressionante como eu sou uma pessoa de sorte. Tenho sido convidada para grandes presentes como foi a "Dalva e Herivelto - Um Canção de Amor" e este agora. Sei que o mérito também é meu, porque lutei muito para chegar e estar aqui hoje. Vislumbrei sempre coisas boas para a minha carreira, com um olhar lá na frente. Não tenho viabilizado projetos e o povo me dá as coisas. Acredito que a minha luta e um pouco de sorte fizeram com que eu ganhasse todos esses presentes na minha carreira.


11. Então podemos dizer que Carminha é a grande personagem de sua carreira?
Sempre acho que o atual é o mais difícil. Mas falo de coração: nos 23 anos de profissão, até agora ela foi a que encontrei maior dificuldade.




Postado  por Fábio Dias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação e presença! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...