quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Thaïs Garayp: Mineirérrima


Por Rodrigo Ferraz


Ela chegou de mansinho, no começo só ajudando Maria Clara Diniz, sim foi ela quem deu a chave a personagem de Malu Mader dar a surra homérica em Laura (Claudia Abreu) em Celebridade.
Mas depois foi um papel atrás do outro... A carismática Biga (Como uma Onda), a dona da pensão Cota (JK), a cozinheira de mão cheia Zoraide (Paraíso Tropical), a bugra Iraci (Desejo Proibido), a indiana Ana (Caminho das Índias) e a cigana Terê (Araguaia)!
Recentemente, fez o filme da história de Joãozinho 30 e entre outras peças fez Açaí e Dedos... Alguém quer nos ajudar a produzir a peça em Sampa?? hehe
O profile dessa mineira típica que conquista pelas beiradas e pelo talento, além de tudo, também é cantora foi respondido de forma super detalhada, e está imperdível. Vamos conferir?
 
Nome: Thais Garayp
Idade: a que eu parecer ter
Aniversário: 26/03
Estado Civil: Solteira (precisando encontrar minha alma gêmea) rs
Profissão: Atriz/Cantora/Engenheira Civil
Local de Nascimento: Belo Horizonte/MG
Atualmente reside em: entre Rio de Janeiro e BH
Trabalhos favoritos em que participou: todas as novelas que fiz na TV, e no teatro: Mulheres de Hollanda, Pianíssimo de Tim Rescala e Açaí e Dedos de Carla Faour.
Com que autores gostaria de trabalhar? Todos os possíveis, eu adoro o desafio de fazer televisão.
TV, cinema ou teatro, qual sua preferência? Eu amo de artista, então pra mim tanto faz onde quer que eu esteja exercendo meu ofício
Programa atual na TV que acompanha: adoro as novelas aprendo muito observando, “Esquenta” da Regina Casé, Luciano Huck (choro muito com Lar doce lar e Lata Velha) “Estrelas” da Angélica e todos os documentários pois adoro obter informações sobre o homem e o mundo
O que não gosta em tv: programas religiosos, mas acho q tem público pra tudo então temos q respeitar o gosto do outro
Uma ou duas novelas da Rede Globo dos anos 70, 80, 90 e 2000:
70: O Rebu, do Bráulio Pedroso. É uma história que se passa em dois dias, o dia de uma festa e um assassinato, no dia seguinte, as investigações. São mais de cem capítulos, dividindo a história em passado, a festa e as investigações. Sensacional.
80: Brega e Chique e Vale Tudo. A primeira inesquecível pelas atuações da Marília Pêra e do Marco Nanini na obra do Cassiano Gabus Mendes. Já Vale Tudo é uma novela icônica, com personagens sensacionais e o roteiro é incrível do Gilberto Braga e do Aguinaldo Silva.
90: O Dono do Mundo é uma novela que me chama à atenção, pela trajetória da mocinha interpretada pela Malu Mader, que pela sua conduta, desafia o conservadorismo da sociedade na época.
2000: Não tem como eu não falar da minha primeira novela de verdade, que foi Como Uma Onda, do Walter Negrão. Até então, eu tinha feito apenas participações. Era um folhetim delicioso. Um texto bom de exercer o meu ofício de atriz.

Em Araguaia
Uma novela para esquecer: Novela ruim é aquela que se passa em Brasília, onde o núcleo político é o grande vilão da população. Na televisão, o importante é interpretar bem e, mesmo que não se goste da novela, os personagens ficam marcados na memória do telespectador.
Uma novela da Record: Acho interessante a abordagem da marginalidade dada pelo Marcílio Moraes em Vidas Opostas.
Uma novela da Band:Os Imigrantes foi um belo trabalho com um elenco inesquecível.
Uma novela do SBT: Éramos Seis foi uma novela gostosa de acompanhar.
Um autor: Não tem como pensar em novela e não lembrar da Janete Clair. E não “tô” puxando a sardinha para a minha brasa não, só porque ela mineira também!
Mas também todos com quais trabalhei até hoje, especialmente Walter Negrão porque “Como uma Onda” foi minha primeira novela e a primeira novela a gente nunca esquece!!!
Um diretor: Nossa, o trabalho de um diretor é uma coisa de louco. Conduzir uma equipe técnica e uma equipe de atores é algo inimaginável para mim. Acho que jamais conseguiria fazer. Sou fã de todos, não tem como falar somente de um.
Uma Atriz: Nossa, são tantas!! A Fernanda Montenegro, a Glória Pires, a Marília Pêra.... e não para mais!
Um Ator: O Tony Ramos, o Herson Capri, os inesquecíveis Paulo Gracindo, Paulo Autran e Raul Cortez, é muita gente boa nesse Brasil.
Uma grande revelação na teledramaturgia:  Licia Manzo autora de “A vida da gente”; Como ator o Domingos Montagner é um ator que a cada dia mostra mais potencial.
Uma cena inesquecível na televisão: Em comédia, a briga pastelão da Fernanda Montenegro e o Paulo Autran em Guerra dos Sexos. Em drama, a Regina Duarte rasgando o vestido de noiva da Glória Pires em Vale tudo.
Um crítico (sobre TV): não me ligo muito nisso não, mas adorei quando a Patrícia Kogut me deu Nota 10 por duas vezes, “Caminho das Índias” e “Desejo Proibido”, achei um luxo!
Site/Blog favorito sobre televisão: Teledramaturgia do Nilson Xavier
Um filme: todos os musicais de Hollywood marcaram muito minha infância e povoaram meus sonhos de menina que gostava de cantar e tinha alma de artista. “Noviça Rebelde” por exemplo assisti várias vezes.

Em Caminho das Índias
Uma peça de teatro: “Mulheres de Hollanda” com direção de Pedro Paulo Cava, em Belo Horizonte, um apanhado sobre o feminino na obra de Chico Buarque, minha primeira peça, eu cantava e atuava.
Um cantor (a): Elis Regina sem dúvida
Uma música: Minha Voz (Caetano Veloso), a música é linda e a letra resume minha vida, porque foi através da minha voz que me descobri artista.
Um livro: Thaïs de Anatole France (um romance que conta a história de Thaïs como na ópera de Massenet) meus pais me deram e eu o guardo com suas páginas amareladas com o maior carinho e orgulho de ter esse nome assim com trema no (ï)
Um restaurante: todos de comida árabe, italiana e chinesa
Prato favorito: como boa mineira feijão tropeiro
Uma revista: eu adoro as revistas de regime e vida natural
Uma viagem: todas, especialmente minha primeira ao exterior pras Filipinas em 79, que foi com o coral Ars Nova da UFMG, onde cantei por muitos anos e pude conhecer o mundo. Costumo dizer que esse Coral foi meu berço artístico
Ícone na televisão: Lima Duarte e meu maior orgulho é ter podido contracenar com ele em algumas novelas

Em Desejo Proibido
Um vício: comprar brincos colares e anéis
Uma cidade: O Rio de Janeiro é fascinante, mas eu amo minha BH, é lá que me sinto “em casa”
Uma frase: “Ame a arte em você, mais que você na arte”
Eu amo: estar em paz na minha casa com meus gatos
Eu odeio: gente prepotente, orgulhosa e descortês
Momento Inesquecível em sua vida: quando conheci a Grécia, o berço da civilização, que quando menina conhecia pelos livros de Geografia e achava tão distante da minha realidade
Um momento que não gostaria de viver novamente: quando minha mãe morreu e quando me separei do meu ex marido. Separação tem gosto de morte.
Medo: de ficar sozinha e abandonada na vida
Vaidades: eu adoro maquiagem, bijouterias criativas e jóias, não vivo sem meus batons, todos meus amigos sabem, então se eu morrer de repente não me enterrem sem baton vinho ou ameixa e alguns acessórios. Sou viciada em comprar brincos colares e anéis.

Em Paraíso Tropical
Marcas favoritas: não me prendo a marcas mas adoooooro as roupas da Elvira Matilde
Mania: não saio de casa sem passar batom
Coleção: quando menina tinha uma coleção de chaveiros, agora coleciono imagens do Divino Espírito Santo.
Ídolo: eu não gosto da idéia de ídolos, mas minha mãe foi um ídolo pra mim, tudo que tenho de bom no meu caráter e jeito de ser devo a ela.
Seria BFF de: eu tenho muitos mas muitos conhecidos  mesmo pois adoro conhecer gente, mas amigos de verdade tenho poucos e esses poucos escolhidos seriam BFF.
Desejo e Sonhos: A gente tem tantos desejos e sonhos, normalmente egoístas, né? Mas deixando esses de lado, e ainda sem ser piegas, já que não tive filhos, tenho o desejo de poder ajudar muitas crianças e velhos abandonados e também animais maltratados, e o sonho de poder morrer deixando um legado de coisas úteis e boas pra esse mundo.

Peça Açaí e Dedos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação e presença! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...