domingo, 31 de março de 2013

COLETIVA DE IMPRENSA: "O desaparecimento do Elefante" com Marjorie Estiano, Maria Luisa Mendonça e grande elenco!


Por Fábio Dias e Rodrigo Ferraz


Essa semana os atores André Frateschi, Clarissa Kiste, Fernanda de Freitas,  Maria Luisa Mendonça, Marjorie Estiano e Rafael Primot participaram da coletiva de imprensa da peça O Desaparecimento do Elefante, junto com a diretora Monique Gardenberg. Ainda no elenco têm Caco Ciocler, Rodrigo Costa e Kiko Mascarenhas, mas não puderam comparecer à coletiva, mas O Cabide Fala estava presente e abaixo você confere os vídeos, fotos e um pouco mais dessa peça que estreou essa semana no Sesc Pinheiros em São Paulo.

A peça tem direção de Monique Gardenberg e Michele Matalon, e explora o universo de Haruki Murakami com peça baseada em contos do escritor japonês. “As personagens de Haruki Murakami são, aparentemente, pessoas comuns”. Monique e Michele assim resumem um pouco da essência da obra deste escritor japonês, hábil em retratar o nonsense da vida moderna e seus tipos solitários e misteriosos.

Um dos principais nomes da literatura mundial contemporânea e um dos indicados ao Prêmio Nobel de Literatura 2012, Murakami demorou cinco anos para liberar a adaptação de sua obra para os palcos brasileiros. A persistência das diretoras venceu e o próprio Murakami leu a versão brasileira e aprovou as ideias para a recriação teatral de seus contos escritos durante a década de 80. 



Gávea Filmes e Morente Forte Produções, trazem ao Sesc Pinheiros a montagem O Desaparecimento Elefante, que fez excelente temporada no Rio em 2012, sendo líder de indicações ao Prêmio APTR em seis categorias: melhor espetáculo, direção, ator coadjuvante (Kiko Mascarenhas), atriz coadjuvante (Fernanda de Freitas e Marjorie Estiano), cenário e figurino.

Parceiras em montagens bem-sucedidas como Inverno da Luz Vermelha (2010), do americano Adam Rapp  e Os Sete Afluentes do Rio Ota (2002), do canadense Robert Lepage , Monique e Michele assinam juntas a direção pela primeira vez e também vivem o desafio de transportar a literatura para o palco, numa experiência que consideram um exercício teatral mais livre, com intenso espaço para improviso e criação coletiva. 

Para participar desta livre empreitada, elas convidaram nomes com quem desfrutam de grande intimidade artística, como Daniela Thomas, Claudia Kopke, Marcia Rubin, Juliana Mendes e o sempre fiel Maneco Quinderé. No elenco, parceiros como Caco Ciocler e Maria Luisa Mendonça, de Ota, Marjorie Estiano, André Frateschi e Rafael Primot, o trio de Inverno.  Convidaram ainda atores familiarizados com a comédia, como Fernanda de Freitas e Kiko Mascarenhas, além das participações de Clarissa Kiste e Rodrigo Costa.  Em cena, todos se revezam em quase trinta personagens para dar vida às histórias sempre surpreendentes de Murakami. 


É o caso da protagonista do conto Sono, uma dona de casa que não dorme há 17 dias sem que seu marido ou filho percebam. Ou do rapaz obcecado pelo mistério de um elefante que sumiu sem deixar rastro (em O Desaparecimento do Elefante) e do funcionário de uma loja de departamentos que se apaixona pela carta de reclamação de um cliente em O Comunicado do Canguru.

“Murakami tem uma percepção aguda da sociedade contemporânea.  Sempre parte de cenas cotidianas, para criar situações surreais, que beiram o nonsense”, analisa Monique, que conheceu a obra do escritor na época da estreia de Ota, espetáculo marcado pela cultura japonesa. “Murakami retrata a solidão e seus protagonistas parecem sempre à margem da sociedade”, completa Michele. 


A montagem, conto a conto:
O PÁSSARO DE CORDAS: Homem desempregado (Caco Ciocler) sai para procurar o gato de estimação de sua esposa autoritária (Maria Luisa Mendonça), após receber uma série de ligações misteriosas (Marjorie Estiano). No caminho, encontra uma curiosa adolescente (Fernanda de Freitas), que o leva a refletir sobre sua vida.

O COMUNICADO DO CANGURU: Encarregado de responder cartas de reclamações dos consumidores, o funcionário de uma loja de departamentos (Kiko Mascarenhas) se encanta pela escrita de um cliente.

SONO: Mulher (Maria Luisa Mendonça) deixa de dormir por 17 dias sem que seu marido (André Frateschi) ou filho (Rodrigo Costa) percebam o que se passa. Em suas noites insones, ela lê Ana Karenina, até que ficção e vida real começam a se embaralhar.

O SEGUNDO ATAQUE: Recém-casados e mortos de fome, um jovem casal (Caco Ciocler e Marjorie Estiano) resolve assaltar uma lanchonete no meio da madrugada para quebrar uma maldição.

O DESAPARECIMENTO DO ELEFANTE: Obcecado pela história de um elefante que desapareceu sem deixar vestígios, rapaz (Rafael Primot) conta para uma jornalista (Fernanda de Freitas) sua intrigante versão para o misterioso caso, contrariando a versão oficial reportada pelos âncoras de um telejornal (Kiko Mascarenhas e Clarissa Kiste).



O Desaparecimento do Elefante
Teatro Paulo Autran – Sesc Pinheiros (1010 lugares)
Rua Paes Leme, 195 - Tel. 3095.9400
Bilheteria: Terça a sexta, das 10h às 21h30. Sábados, das 10h às 21h. Domingos e feriados, das 10h às 18h30. Aceita cheque e todos os cartões de crédito e débito. Os ingressos podem ser adquiridos em toda Rede SESC SP. Estacionamento com manobrista R$ 6

Sexta às 21h | Sábado às 20h | Domingo às 18h

Ingressos: R$ 32
R$ 16 (usuário matriculado, a partir de 60 anos e estudantes com carteirinha)
R$ 8 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes)

Duração: 135 minutos
Recomendação: 12 anos

Estreia: 30 de março
Curta Temporada: até 05 de maio




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação e presença! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...