sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Por que "Água Viva" deve ser a escolhida para ser reprisada no "Canal Viva"? Saiba a resposta!


Por Rafael Barbosa

Nos últimos dias, as redes sociais, blogs, fóruns e tópicos sobre teledramaturgia, tem se movimentado com a enquete feita pelo site do Canal Viva, para escolher a próxima novela a ocupar a faixa da meia-noite, substituindo a atual reprise de Rainha Sucata. As candidatas são quatro grandes sucessos da Rede Globo, sendo duas assinadas por Gilberto Braga: Água Viva (1980) e O Dono do Mundo (1991), e duas por Aguinaldo Silva: Fera ferida (1993) e A Indomada (1997). Desde que foi anunciada a enquete, grande parte do público tem se mobilizado numa campanha em favor de Água Viva, clássico do inicio dos anos 80. E realmente, Água Viva se mostra como a melhor opção para reprise neste horário, e existem bons motivos para isso.


O primeiro motivo é óbvio: é uma novela marcante e muito querida na memória afetiva dos saudosistas. A história girava em torno dos irmãos Fragonard. Miguel (Raul Cortez), um bem sucedido cirurgião e pai de família que acaba ficando viúvo, e Nelson (Reginaldo Faria), um cara falido que adora aproveitar a vida, e que vive se metendo em negócios furados. Óbvio que os dois irmãos não se entendem, e em determinado momento passam a disputar o amor da interesseira Lígia (Betty Faria) que se casa com Miguel, sendo completamente apaixonada por Nelson. A história ainda apresenta o drama da órfã Maria Helena (Gabriela Garcia), de 8 anos que conta com a ajuda de Suely (Ângela Leal), que decide encontrar o pai da menina. A menina será adotada por Ligia, após esta saber que Maria Helena é filha de Nelson, que ele nem sabia que existia. A jovem batalhadora Janete (Lucélia Santos), a vilã Lourdes Mesquita (Beatriz Segall) e a milionária excêntrica Stella Simpson (Tônia Carreiro), estão entre os personagens mais marcantes da trama.


Gilberto Braga vinha do sucesso fenomenal de Dancin’Days e sua responsabilidade era grande. Com Água Viva no ar, ele mais uma vez provou o grande novelista que era. A trama é uma típica obra Gilbertiana, a mistura perfeita do retrato do cotidiano da elite carioca, com o que o folhetim tem de melhor. Uma obra que conseguiu reunir os ingredientes exatos para uma novela de sucesso. Amores e paixões avassaladoras, conflitos familiares, decadência de ricos falidos, alpinistas sociais, o famoso “quem matou”, segredos, separações entre outros ingredientes essenciais. Tudo isso aliado a um ritmo ágil e cheio de situações e acontecimentos. Além disso, Água Viva apresentava muito bem os costumes e modismos da época, e a sensibilidade de Gilberto Braga, em entremear assuntos importantes a serem discutidos na trama, estava presente. No geral, Água Viva representa a consolidação de um estilo do gênero.

Além do excelente enredo e ótimos personagens, a novela contava com uma caprichada direção de Roberto Talma e Paulo Ubiratan, que deram a Água Viva uma cara única. A novela era solar, charmosa, com uma estética praiana e tropical que usava e abusava das belas paisagens do Rio de janeiro. A trilha sonora, nacional e internacional, é uma das melhores produzidas até hoje, com canções marcantes e inesquecíveis. Impossível ouvir “Menino do Rio” de Baby Consuelo, tema de abertura de Água Viva, e não associar imediatamente com a novela. Cenas marcantes como a surra que Lígia deu em Selma (Tâmara Taxman) no banheiro, a morte de Lucy (Tetê Medina) na explosão de uma lancha logo no início, e a polemica cena do Topless, são as mais lembradas e representam os melhores momentos da novela.


Outro bom motivo para rever Água Viva, é o encontro de Gilberto Braga e Manoel Carlos, dois grandes autores que formaram umas das mais bem sucedidas parcerias em autoria de telenovelas. Manoel Carlos, até então habituado com as tramas de época do horário das seis, que eram adaptações literárias, teve que se familiarizar com uma nova linguagem. Ele começou a escrever a partir do capítulo 57, e foi visível o papel que ele desempenhou na trama, sua co-autoria só veio a acrescentar, dando uma “injeção de vitalidade na história”, segundo o próprio Gilberto. Sem dúvida, deve ser um prazer ver dois autores como Maneco e Gilberto em ótima forma, juntos em um único sucesso.

Tudo isso já seria o suficiente para rever Água Viva, mas sua escolha para o horário representa bem mais do que simplesmente revê-la. O horário da meia-noite do canal Viva, sempre foi destinado a novelas mais antigas, principalmente da década de 80, anos de ouro para teledramaturgia. E isso representava não só a oportunidade de saudosistas voltarem no tempo e relembrarem essas obras primas, como também à chance da nova geração poder conferir os maiores sucessos do gênero, em tempos em que a criatividade e ousadia de autores estavam no auge.  Com exceção de Água Viva, as outras candidatas são todas dos anos 90, que apesar de excelentes novelas, são mais recentes, e poderiam facilmente ser exibidas nos outros dois horários diurnos do Viva.


Não se sabe o que o canal pretende com isso, se é atrair um novo público, ou simplesmente evitar ter trabalho com liberações de novelas mais antigas, ou qualquer outra coisa. A verdade é que exibir novelas mais recentes como A Indomada, por exemplo, diminui as chances de se ver no horário, obras marcantes como: Pai Herói, Baila Comigo, Louco amor, Selva de Pedra, O Salvador da Pátria, Brega e Chique, entre outras. Isso vai contra a proposta inicial do horário, de apresentar os clássicos mais antigos, guardados há mais tempo na memória do publico. Escolher Água Viva significa garantir que o horário continue a seguir na mesma linha que vinha seguindo até agora, ou seja, reprisar novelas exibidas antes dos anos 90. Isso também é uma questão de estrutura e organização, saudável para o público e para o próprio canal.


Diante de tudo isso, está mais do que claro o porquê Água Viva deve ser a escolhida. Particularmente, é claro que não vi a novela, mas pelo que sempre ouvi dizer sobre a trama, por tudo o que li sobre, sempre tive a curiosidade de ver. E agora, com a pesquisa que fiz para escrever este post, podendo conhecer melhor a história, os personagens e mergulhar no universo da trama, me senti ainda mais atraído por tudo e seria um enorme prazer acompanhá-la.  A enquete vai até o dia 4, no próximo domingo, quando serão divulgados os resultados. Ainda dá tempo para votar muito, por isso continuem votando. Quem ainda não votou, vote e quem já votou, vote de novo, e que venha Água Viva. Eu estou votando!!!

Para votar clique aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação e presença! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...