sábado, 27 de agosto de 2016

Walcyr Carrasco comenta o sucesso de "Eta Mundo Bom!" e outros trabalhos

Por *Equipe O Cabide Fala 


Eta Mundo Bom! chegou ao fim ontem, e há muito tempo a Rede Globo não via números tão altos no horário. A aposta era certa, o autor Walcyr Carrasco assinou os maiores sucessos do horário a partir dos anos 2000. No entanto, nem os mais otimistas pensariam em um feito tão grande. A novela se manteve acima dos 30 pontos em sua segunda metade, números que nem as novelas das nove vinham conseguindo com facilidade nos últimos anos. Na média geral, "Eta Mundo Bom!" fechou com 27 pontos, tornando-se a maior audiência do horário desde O Profeta (2006), onde ocorreu a última contribuição do autor para o horário. "Além do Tempo", sua antecessora, que também é considerada um sucesso, fechou com 20 pontos.

Como explicar todo esse sucesso? Ultimamente, com o advento da internet, a emissora tenta travar com outras novelas uma parceria, uma interação para conquistar audiência, mas isso não ocorreu em Eta Mundo Bom!  Para uns, a novela é um escapismo de nossa realidade, por isso atinge números tão altos. A atriz Rosi Campos que interpreta Eponina defendeu para o Notícias da TV essa semana que o Brasil é um país caipira, por isso o sucesso. Walcyr Carrasco diz que não parou para pensar sobre como escrever uma novela de sucesso, pois isso o levaria a formulas e o limitaria como escritor. O autor declara: "Simplesmente, fico feliz." Ao ser questionado do porquê ser o autor recordista no horário o autor é bem enfático: "Não sei dizer, eu me preocupo com meu trabalho, meu prazer em escrever, não sou um analista de televisão."

Muita gente aposta que hoje o público prefere novelas fáceis, com personagens bem definidos, maniqueístas e sem muitas nuances. "Eta Mundo Bom!" apostou na maioria de seus personagens assim. No entanto, um personagem se destoou dos demais, foi o Braz, personagem de Rômulo Neto, sobre ele, o autor explicou: "Não se tratava de um vilão, mas uma espécie de anjo vingador, eu escrevo intuitivamente, com a minha emoção. O autor ainda argumenta: Não paro para elaborar a psicologia de um personagem. Ela simplesmente ocorre."

Recentemente, nas Olimpíadas Rio 2016, foi questionado pela mídia estrangeira o porquê da prioridade das novelas em relação aos jogos. Ao falarmos sobre a importância das telenovelas com o autor declarou: "Eu acho que o sucesso das novelas no país mostra que a ficção é tão importante para o ser humano como o pão que ele come. As pessoas precisam de ficção, de estimular o imaginário. A telenovela é a forma que neste país conquistou um espaço justamente para o imaginário."

Carrasco, naturalmente matem uma parceria longa com certas atrizes. Elizabeth Savalla, Flávia Alessandra, Ana Lucia Torre e Drica Moraes fizeram várias novelas suas, sobre elas o autor comentou: "Eu gosto muito dessas atrizes e trabalharia com elas todas as vezes que pudesse , porque sempre tive grande satisfação com seus desempenhos." Inclusive, em 2015, Drica Moraes assumiu uma personagem originalmente pensada para Débora Secco em "Verdades Secretas", que por conta de sua gravidez teve que abrir mão da personagem. Duas atrizes completamente distintas em suas características. Quando tocamos no assunto e perguntamos se ele mudou algo no roteiro por conta da troca, o autor afirmou: "O roteiro original continuou o mesmo. cada atriz, porém, dá sua interpretação." Sobre os cacos e improvisações de atores que ele não admite em seu texto, Walcyr se defende: "Eu acredito que se o ator precisa de caco é porque não está conseguindo dar a intenção no texto e acrescenta palavras, que se tornam bengalas para seguir com o personagem."

Walcyr tem uma maneira bem particular de escrever novelas, e sobre isso confidenciou: "Meu processo de trabalho é caótico, todo mundo sabe, mas acaba dando certo. Só não tenho regras. Cada dia é de um jeito, inclusive na relação com os colaboradores." Carrasco dá para ser considerado o autor mais pró-ativo e o mais versátil da Globo. É um trabalho atrás do outro e quase todo ano podemos conferir alguma obra sua na telinha. Alem disso seus trabalhos costumam ser diferentes um do outro. Ao ser questionado de umas férias e se não tem medo de se repetir ele revelou: "Descansar para mim é escrever, claro que tenho medo de me repetir, e creio que isso acontece. As histórias nascem dentro de mim, fruto da minha emoção, em um processo intuitivo, que não sei descrever. Mas já nascem com o formato adequado: livro infantil, novela, teatro. Mas dessa vez o autor deve dar um tempo da TV, e nos contou: estou entrando em férias, não tenho nenhum projeto.

Múltiplo, Walcyr também escreveu algumas peças de teatro e livros. Sobre essa versatilidade, ele explicou: "Eu não penso nessas diferenças, simplesmente quando uma historia vem na minha cabeça, também já chega no formato que eu quero: peça, livro, novela." O autor ainda comentou sobre  suas peças: "A peça que me deu muito prazer foi Êxtase, justamente porque com ela ganhei o Prêmio Shell de Teatro e também adoro Desamor, feita pelo Dionísio Neto num circuito alternativo o ano passado, em São Paulo. E há mais uma novidade que o autor contou dos projetos fora da TV, ele diz que está pensando em escrever um livro sobre São Francisco de Assis.


***

*Matéria escrita por Fábio Dias
*Participaram da entrevista Rodrigo Ferraz, Daniel Miyagi e Rafael Barbosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação e presença! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...