terça-feira, 28 de agosto de 2018

Atual, a peça Vicent River em cartaz no Sesc Vila Mariana impressiona.

Por Ewerton Morais


Está em cartaz no Sesc Vila Mariana a peça Vicent Rive. O drama do premiado autor britânico Philip Ridley, chega ao Brasil com tradução e direção de Darson Ribeiro e conta com Sandra Corveloni e Thales Cabral no elenco. Um espetáculo de protesto, como letras miúdas, feito contrato. Ninguém quer ler, mas está ali, incomodando e, em algum momento, chegará as consequências por não lê-la. Letras essas percebidas na troca de olhares entre os atores, no cenário, no texto não dito verbalmente, mas mesmo assim escancarado. A contemporaneidade da peça se faz cabível e, infelizmente, reproduzida diariamente. Um texto que, de forma indigesta, vomita a vida de milhares de homossexuais espalhado pelo mundo. 

De um lado, uma mãe que descobre tardiamente não conhecer seu único filho. Uma intimidade incompleta, velada pelo preconceito. Do outro, um jovem que talvez poderia ter tido sua vida poupada, caso sua verdadeira identidade fosse aceita. A intolerância esconde registros, queimam revistas, como forma de abafar a realidade. Melhor assim, alguns pensam.


Na trama, Anita (Sandra Corveloni), mãe de Vicent arquiteta dentro de sua nova casa, formas de conviver com a dor da perda e com a vergonha que rodeia o caso do menino promiscuo que é assassinado em uma estação de trem abandonada, conforme anunciada pela mídia local. 
A descrição do assassinado, relatada por Davey (Thalles Cabral), seu namorado, tangibiliza o ódio. Uma cena extremamente pesada, salubre que, por vários segundo, faz a plateia se contorcer, acompanhada de um nó na garganta. As letras miúdas mostram que a morte de um homossexual, diz muito mais que o sessar de uma vida. 

Os socos e pauladas que Vicent recebeu naquela noite, eram para todos os homossexuais, que também morrem um pouco, cada vez que lê um jornal pela manhã e se depara com notícias como essa. A raiva exacerbada não tem a intenção de matar somente a carne, mas algo muito maior, muito mais forte, algo que nunca irão conseguir matar. Anita, sofre com a perda de um filho que nunca conheceu de verdade, por que não se permitiu. 


Espetáculo: Vincent River, de Philip Ridley
Temporada: até 29/9 – Sextas, às 20h30, e sábados, às 18h
Duração: 90 minutos. Gênero: Drama. Classificação: 12 anos.
Ingressos: R$ 20,00 (inteira). R$ 10,00 (meia). R$ 6,00 (credencial plena do Sesc)
Bilheteria: Terça a sexta (9h – 21h30); sábado (10h – 21h); domingo e feriado (10h – 18h30) – ingressos nas unidades do Sesc e portal.
Local: Sesc Vila Mariana, auditório (128 lugares).

*** 

Sobre o autor



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação e presença! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...