quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Claudio Fontana domina cena em MACBETH


Por Rodrigo Ferraz


Macbeth é considerada a peça maldita de Shakespeare, mas nessa montagem, não tem nada de maldito. Muito bem dirigida por Gabriel Vilela, cenário bom, um figurino impecável e um elenco bem escalado. Mas, não tem como deixar de destacar Claudio Fontana. Com um elenco todo formado por homens como eram as peças Elizabetanas, Claudio vive a Lady Macbeth sem caricaturas, ele construiu a personagem de forma firme, forte e segura. Dominando a cena, abaixo você pode conferir uma entrevista que fizemos com o ator:


1-) Não sei se você reparou, mas a última montagem da peça (dirigida por Aderbal Freire Filho) o Sr. de Macbeth foi interpretado por Daniel Dantas, que foi um dos protagonistas de "Ciranda de Pedra", o Marcello Antony também fez a novela e está contigo no elenco e a Ana Paula Arósio foi cogitada pra fazer a versão de vocês. Nos bastidores da novela comentavam da vontade de fazer esse texto durante as gravações?
Quando a gente faz novela ou qualquer outro trabalho, sempre fazemos amizades: ANA foi indicação minha. Topou de imediato mas depois desistiu mesmo por problemas de agenda, MARCELLO sempre quis fazer a peça e DANIEL DANTAS é um querido companheiro com que me diverti muito em CIRANDA mas não sabia que ele iria fazer MACBETH.

Em "Ciranda de Pedra"

2-) Se não me falhe a memória, é a terceira mulher que você interpreta, totalmente diferente das outras duas, queria que você diferenciasse cada uma. E o que é fazer um personagem tão clássica da forma clássica Elizabetana?
Já interpretei mulheres em comédias – “Camila Baker” e “Amigas Pero no Mucho”. Em ambos os espetáculos as personagens eram caricaturas de mulheres, onde o objetivo era através do humor exaltar as qualidades e defeitos das mulheres. “Lady Macbeth” é uma das mais emblemáticas personagens da dramaturgia universal. Ela simboliza a perversidade, a ambição, a maldade, a sedução. É um trabalho completamente diferente onde não há a preocupação em utilizar uma voz ou um corpo femininos e sim personificar essas características de qualquer ser humano.

 

3-) Gabriel Vilela é dos diretores com que você mais trabalha, mas também tem Elias Andreato, Marcio Aurelio e outras grandes parcerias... Como começou a parceria com o Gabriel? Quais trabalhos foram os mais gratificantes?
Conheci Gabriel ainda no grupo de teatro amador do Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo. Ele foi o principal incentivador na minha carreira. São fundamentais pra mim os espetáculos: “Vem Buscar-Me Que Ainda Sou Teu”, “A Guerra Santa”, “A Ponte e a Água de Piscina” e mais recentemente, “Calígula” e “Macbeth”.

 Em Amigas Pero No Mucho

4-) Você já trabalhou como foi dito acima com muita gente legal, com talento de sobra em todas as áreas. Falta alguém e algum texto que você queira fazer?

Gostaria muito de trabalhar novamente com Marcio Aurélio e sempre com Elias Andreato. E com autores brasileiros que eu adoro como Alcides Nogueira, Dib Carneiro Neto e Sergio Roveri. 

Em Rei Davi
5-) No começo do ano você fez Rei Davi, agora Macbeth... Teremos alguma novidade que você pode contar pr'O Cabide em primeira mão depois do fim dessa temporada? Ou até outros lugares que a peça passará?
Ufa, acho que esse ano mereço umas férias. Já estou produzindo Hamlet, com Thiago Lacerda, mas terminamos Macbeth em novembro. Em agosto, iniciaremos a turnê que visitará cidades como Vinhedo, Ribeirão Preto, Belo Horizonte, Curitiba, Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Campo Grande.


Informações da peça: Teatro Vivo. Sexta, 21h30; sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 50,00 (sexta e domingo) e R$ 70,00 (sábado).


E NÃO PERCA: SEMANA QUE VEM É SEMANA ESPECIAL NELSON RODRIGUES em homenagem ao centenário do grande escritor. O Cabide estara repleto de posts em homenagens a ele!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação e presença! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...