sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

DRoPs 51 - Novidades culturais, curtas e finas

Por Rodrigo Ferraz

~> Prometi no mês passado um Drops comemorativo, não prometi?? Então vamos lá, pra começar um pequeno papo com a atriz Ingra Lyberato...


 

Ela como disse no video esteve no Drops 39 (quer rever, clique aqui: http://www.ocabidefala.com.br/2016/12/drops-39-novidades-culturais-curtas-e.html ), o livro é bem gostoso, e vale ser conferido!

~> Agora vamos relembrar como o Drops começou?? A principio o Drops eram 2 ou 3 notinhas comentando algumas peças que tava em cartaz, sempre depois de criticas ou entrevistas que fazia, percebi que tinha potencial de coluna fixa e assim ele virou em 31 de maio de 2013, até setembro de 2015 nossa coluna era toda última sexta do mês, percebi que era melhor trocar para a primeira sexta do mês, e desde o Drops 28 é toda primeira sexta do mês, já são mais de 4 anos, de informações culturais curtas e finas pra vocês. 


~> Agora você sabe qual foi o post mais visualizado? Até o dia 28/11 o Drops 12 (link: http://www.ocabidefala.com.br/2014/05/drops-12-novidades-culturais-curtas.html) teve 6669 visualizações. Celson Frateschi convidava vocês para verem a Besta, contávamos em primeira mão que Juca de Oliveira faria Rei Lear,  mas o grande destaque era uma entrevista com Nivea Maria, infelizmente essa não foi postada nas minhas contas do youtube, por isso está fora do ar, ela estava em cartaz com o espetáculo A Última Sessão, peça essa que tinha alem dela Laura Cardoso, Etty Fraser e grandes nomes, fizemos um especial com entrevistas com quase o elenco todo, sobre se quiser ver clique aqui.

~> Perguntei pra alguns amigos quais Drops marcaram eles, Fabio Dias meu parceiro e editor no nosso site escolheu: o Drops 43, de fato foi bem marcante, foi um especial sobre o prêmio Shell de 2017. "Escolhi esse pois o Prêmio Shell foi inesquecível, tive a honra de contribuir e participar para a construção do post" de fato o Fabio alem de editar todas nossas publicações nesse Drops filmou a entrevista com todas as indicadas a melhor atriz que lá estiveram. Antonio Fagundes foi o grande homenageado da noite.Quer rever? Clica aqui: ( http://www.ocabidefala.com.br/2017/04/drops-43-novidades-culturais-curtas-e.html )


~> Rogerio Vieira também opinou, ele escolheu o 40 (link: http://www.ocabidefala.com.br/2017/01/drops-40-novidades-culturais-curtas-e.html ) nele entre outros assuntos Klara Castanho falava com a gente, assim como o Fabio também escolheu o 43 (do Shell) e o 45 (link: http://www.ocabidefala.com.br/2017/06/drops-45-novidades-culturais-curtas-e.html ), nele falava com o elenco da peça Nosso Luto que dirigi esse ano e tem previsão de voltar em cartaz ano que vem.

~> Rafael Barbosa, que também escreve por aqui escolheu alguns: o 24 (link: http://www.ocabidefala.com.br/2015/06/drops-24-novidades-culturais-curtas-e.html ) esse um dos destaques era Icaro Silva convidando nossos leitores para assistir Simonal+trecho do espetáculo, o lançamento da biografia de Nany People, o Drops 28 (link: http://www.ocabidefala.com.br/2015/11/drops-28-novidades-culturais-curtas-e.html ) tinha um bate papo com Mouhamed Harfouch. ele estava em cartaz com ou Tudo ou Nada e a estreia de o Topo da Montanha que estreava, o 33 (link: http://www.ocabidefala.com.br/2016/06/drops-33-novidades-culturais-curtas-e.html ) tinha bate papo sobre poesia com os poetas Davi Kinski e Rubem Jardim e o ator Marcos Veras, assim como o Rogerio também escolheu no 40 (aquele com a Klara Castanho)  o Drops 46 (link: http://www.ocabidefala.com.br/2017/07/drops-46-novidades-culturais-curtas-e.html ) falava do direito de fazer Teatro sem censura, um papo com Leandra Leal e o último que ele destacou foi o 48 (link: http://www.ocabidefala.com.br/2017/09/drops-48-novidades-culturais-curtas-e.html ), Renata Peron e eu contamos do nosso projeto Canto para as Estrelas e visitamos uma exposição no hotel HB. Caramba, quanta coisa!



~> Diogo Salvador escolheu o Drops 29 (link: http://www.ocabidefala.com.br/2015/12/drops-29-novidades-culturais-curtas-e.html ), que Totia Meireles estava no Cabide Fala para falar de Mulheres a Beira de um Ataque de Nervos, da volta de Luz Negra e  o Drops 46 que o Rafael também escolheu, aquele sobre o protesto de liberdade artística e o papo com a Leandra Leal.

~> Também acho que vale apena relembrar o Drops 7 (link: http://www.ocabidefala.com.br/2013/12/drops-7-em-video-novidades-culturais.html?m=0 ) escolhi algumas das peças mais marcantes do ano de 2013 e outros momentos culturais... Em vídeo! Por sinal to pensando em janeiro fazer o mesmo, afinal 2017 teve inúmeras peças marcantes, que tal?? E que venham mais 50, 100 publicações sempre aqui no nosso o Cabide Fala...



***

Sobre o autor

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Invasão de Camarim com Nathalia Dill

Por Rodrigo Ferraz



Depois de mais de seis meses o Invasão de Camarim está de volta, e fomos ao encontro de Nathalia Dill no camarim do Teatro Renaissaince. Há pouco mais de 10 anos ela estreava na TV, era a vilã Debora em Malhação, mas ela já fazia teatro há mais tempo. Formada em direção teatral, ela focou a carreira mais na atuação, essa por sinal sempre irretocável, vivendo mocinhas com diferentes nuances e também outros papéis variados como a vilã com humor ácido como a Branca em Liberdade Liberdade ou a complexa Erica no filme Paraísos Artificiais. Na entrevista, a atriz que está em cartaz com a deliciosa comédia "Fulaninha e Dona Coisa", a atriz fala desses trabalhos, de outros papéis e um pouco mais... Vai perder??! 


Teatro Renaissance, Sábado e Domingo às 19h30, ingressos R$100.


***

Sobre o entrevistador


sábado, 18 de novembro de 2017

Atual, Rei da Vela é uma peça obrigatória!

Por Rodrigo Ferraz

REI DA VELA! Em 1933, Oswald de Andrade era atual!! Em 1967, Jose Celso Martínez Corrêa era atual!! Em 2017, Oswald e Zé Celso continuam atuais!!!! Apesar de ter escrito em 33, o livro só foi publicado em 1937, ano em que Zé Celso e Renato Borghi nasceram... 30 anos depois, Zé Celso que já dirigia o Teatro Oficina, tirou a peça de Oswald do papel, transformando-a num marco para Cia e para o teatro no país... Hoje, 50 anos depois, a peça volta em cartaz não no espaço de Zé Celso, e sim no Sesc Pinheiros.


O Tropicalismo e o Manifesto Antropofágico de Oswald de Andrade são figuras presentes na obra do Zé e nessa estão mais visíveis do que nunca. Quem quiser ver Zé Celso e parte do elenco do Oficina falando da importância de Oswald em uma matéria que fiz para o nosso site, clique aqui. As referências na atualização do texto são deliciosas de tão verdadeiras, algumas mais visíveis, outras nem tanto e por vezes elas são ácidas. Elas estão presentes em forma de texto, figurino, trilha sonora, maquiagem, etc. Admirador das peças d'Oficina que sou, entendi o porquê o Rei da Vela é um clássico para o teatro nacional, quiçá mundial. As atuações estão vigorosas e os atos são muito bem dirigidos, com destaque para o primeiro ato. O protagonista é vivido por Renato Borghi, e olha que bárbaro! O ator viveu a mesma personagem na primeira montagem, ele está numa atuação monstruosa de tão boa, seu personagem é odioso, faz perceber que enquanto houver Abelardos o capitalismo seguirá nesses moldes assassinos.


Falando em Abelardos... Há anos, Zé Celso bate de frente com Silvio Santos, enquanto o artista quer expandir o espaço do Teatro Oficina, antes com o sonho de ter o Teatro Estadium, agora seu desejo é dar um parque aberto para o paulistano. O empresário e apresentador quer construir torres comerciais no mesmo terreno, fazendo o Oficina perder muito da sua beleza, deixando o lugar acinzentado e sem graça. João Doria, prefeito de São Paulo acha que dá pra ter um shopping por lá e usando o Oficina em anexo como se fosse um teatro de puro entretenimento, como na maioria das vezes acontece em shoppins que têm teatros. Nada contra o entretenimento. Ele não é arte e vice versa, algo muito comum de ser confundido, mas não se deve. A classe artística em peso apoia o Oficina, não só pelos seus quase 60 anos de história (que já seria um grande motivo), pois tudo que ele é no presente e ainda pode ser no futuro.

A peça é uma aula de vida e arte! Obrigatória!!


No Sesc Pinheiros. Sábados 19h e Domingos 18h. Os ingressos custam de R$15 à R$50.

***

Sobre o autor

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Entrevista Exclusiva com Claudia Ohana

Por Rodrigo Ferraz


Em Vamp - Foto Caio Gallucci

Claudia Ohana é das minhas atrizes favoritas, fiz essa entrevista como fã, confesso! Ela que voltou a viver a Natasha de Vamp está bárbara na peça. A peça por sinal é bárbara também, foge de ser a novela e tem uma criatividade na concepção. O elenco é entrosado e em sua maioria talentoso. Agora sem mais enrolações, vamos conferir a entrevista que fiz com Claudia? Falamos sobre vários momentos da carreira dela, alem da Natasha e de quebra vemos um trechinho da peça, quando a atriz canta Noite Preta, vai perder??!



Sexta às 20h30, Sábado às 17h e 21h e Domingo 16h30. Os ingressos vão de R$20 à R$150.


Quem quiser ver mais um trechinho de Vamp, tem um video no Drops do mês passado, clique aqui!

***

Sobre o entrevistador

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...