terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

#Entrevista com Marcelo Varzea

Por Rodrigo Ferraz


O ano de 2018 promete ser de muito trabalho pra Marcelo Varzea, ele começou em cartaz com Michel III em que dirigiu, estreará seu primeiro monólogo (que também escreveu): Silêncio.Doc e tem outros trabalhos engatilhados. Na entrevista a seguir você vai ver ele falando sobre isso e outros momentos da sua carreira.

Este é seu primeiro solo. Como foi o processo de ensaio, em seu primeiro monólogo e escrito por você?
Esse é o meu primeiro solo. Estou achando tudo muito diferente, não sei se é por ser um solo ou por ser um texto meu ou ambas as coisas.


Como foi a confecção do texto?
Comecei a escrever o texto porque tinha um jogo de palavras na minha cabeça. Julia (Spadaccine, autora do Rio de Janeiro) me deu a dica. Ela disse senta, coloca uma palavra e o resto vem. Na época fumava e escrevi "Silêncio", por isso que a peça chama Silêncio.Doc. Antes do cigarro acabar já tinha elaborado esse jogo de palavras no papel, ou seja, não foi um processo elaborado, aconteceu. Um ano e meio depois, olhei e escrevi a última página.

Você teve a intenção de encena-lo?
Não tinha a menor intenção, mas foi um exercício de escrita, como dizia a Julia eu tinha facilidade com as palavras. Naquela época não acredita e não me cabia a profissão de autor. Anos depois encontrei Marcio Macena, que conhecia o texto e ele me perguntou se poderia montar o texto. Aceitei, mas não imaginava atuar nele, e em seguida, veio o convite de fazermos algo nas Satyrianas, mudei de ideia lá estava eu em cena na primeira leitura encenada do texto.

Você já trabalhou com diversos diretores e também dirige. O que cada um te acrescentou como ator e diretor?
Na arte assim como na vida cada encontro é uma experiência única. A troca se estabelece sempre quando ambos estão disponíveis. Trabalhei diretores ditadores, àqueles que impunham uma estética e seu modo de olhar: é um processo sofrido. Outros, não tão geniais conseguiram ver em mim várias qualidades para desenvolver um personagem, outros que trabalharam de igual pra igual; assim fizeram eu crescer como ator. Como sou diretor, gosto muito de dirigir ator sei que a cabeça de um ator é um paraíso e um inferno ao mesmo tempo você conduzir essas pessoas para o melhor que elas possam dar individualmente e naquele coletivo é um trabalho muito legal.


Vamos falar agora de Michel III. Como foi dirigir o espetáculo? Como foi a primeira temporada e o que você espera da segunda??
Michel III surgiu de um convite do Isser Korik e do Ian Soffredini para participar de uma Mostra de Dramaturgia chamada "Berçário Teátral". Escolhi muito bem o elenco(modéstia parte), porém a verba mal dava para pagar os atores e a produção do espetáculo. A principio, a peça não seguiu como pensei no começo, mas logo no primeiro ensaio vi que a peça cairia melhor em tom de comédia como a revista, a farsa e o circo. O publico se identificou independente sua ideologia politica. A peça foi um sucesso, então fomos convidados para voltar em uma temporada no Teatro Folha às quartas e quintas à partir de março.


Citarei alguns trabalhos seus, cite o que eles tiveram de relevante:

Ópera do Malandro (peça): Foi um marco da minha carreira. Não fazia musicais desde 1991. Naquela época fiz muitos musicais com o Oswaldo Montenegro. Ópéra era um musical grande, não imaginava que ganharia o protagonista numa época que o musical tava começando a bombar. Depois disso, tirando o Relax (do Wolf Maya) e  Segundas Intenções houve um grande intervalo e voltei a fazer musicais como  fiz essa década.

Força de um Desejo (novela): Estava fazendo a minIssérie Chiquinha Gonzaga, quando me convidaram para fazer Força de um Desejo. Minha primeira novela inteira na Globo,era uma novela linda escrita por Alcides Nogueira e Gilberto Braga. Fazia parte do núcleo cômico, Urbano era o nome do meu personagem,  contracenava com frequência com o Daniel Dantas e a Louise Cardoso.

Malhação: Foi bem emblemático, pois me identifiquei em algumas passagem. Era o pai da Alice Wegmann e da Pietra Pan. Até hoje anos depois de ter feito o Lorenzo sou reconhecido pelo personagem.

Rock'n Rio, o musical (Teatro): Recebi o convite logo depois de Malhação. Era um professor de história que saía do armário no fim da história, fã da Shakira, hilário! Ver como que tecnicamente o teatro musical evolui foi muito legal.

A Lei do Amor (novela): Fiz outros trabalhos com o Alcides Nogueira, além de Força de um Desejo, alguns com a Maria Adelaide Amaral, que escrevia a novela. Vivi o delegado Celso, tinha feito teste para outro papel, não passei mas ganhei esse, um papel pequeno frisaram isso e a Adelaide frisou que ela me queria muito nesse papel, e um papel pequeno explodiu .

Ainda tem novidades na carreira pra esse ano?
Sim, escrevi um monólogo pra uma mulher. Uma personagem bem amarga, estreio nova temporada de O Negócio na HBO, tem a série Toda Forma de Amor Vale Apena do Bruno Barreta no Canal Brasil, tem uma série em canal fechado que não posso falar por questão de contrato bem bacana.Alem das peças que já falamos viajo aos fins de semana com o musical da Bossa Nova. E em breve começarei a ensaiar A Porta da Frente, texto da Spadaccine com o Roney Facchini e Sandra Pera e mais algumas pessoas que não estão fechadas. Vida agitadíssima!


SERVIÇO
Silêncio.doc,
Auditório MuBE 
Temporada: de 20 de fevereiro a 8 de maio
Terças-feiras, às 21
Ingressos: R$20/R$40


“Michel III – Uma Farsa à Brasileira”
Reestreia: 07 de março de 2018
Temporada: 26 de abril de 2018
Quartas e Quintas-feiras, às 21h
Ingresso: R$15/R$30,00 (setor 2) e R$20/R$40,00 (setor 1)

P.s.: As fotos que ilustraram a entrevista foram tiradas por Naava Bassi que tirou de momentos da peça Silêncio.Doc

***
Sobre o entrevistador

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

DRoPs 53 - Novidades culturais, curtas e finas

Por Rodrigo Ferraz

~> Vamos começar vendo a entrevista com o elenco de Agora e Na Hora??


A peça estrelada por Andre Gonçalves, Rodolfo Mesquita e Amandha Lee está no Teatro Folha, até dia 25 desse mês às Sextas 21h30, Sábado 20h e 22h e Domingo 20h, e os ingressos vão dos 20 reais à 80 reais.

~> Vocês sabiam que o Nino, o aprendiz de feiticeiro mais querido por 10 entre 10 pessoas que assistem ou assistiram a TV Cultura está em cartaz?? Sim, rs ,Cassio Scapin revive ele no monólogo: Admirável Nino Novo no Teatro das Artes, sempre às 16h aos sábados e domingos. Os ingressos R$30 meia e R$60 inteira.


~> Nelson Baskerville, que hoje em dia dirige mais do que atua, em O Rio atua e dirige, no Sesc Consolação ele divide o tablado com Virginia Cavendish e Maria Manoella. Sexta e Sábado 21h e Domingo 18h. Os ingressos vão de R$12 à R$40.

~> Marcelo Varzea depois de dirigir a ótima Michel III (que volta em cartaz em março) vai atuar no espetáculo que ele próprio escreveu: Silêncio.Doc estará em cartaz no Teatro Mube Nova Cultural, todas terças feiras a partir do dia 20 de fevereiro, em breve ele volta no nosso site para uma entrevista para sabermos mais. A peça custará 40 reais no valor inteira e será às 21h.


~> Cenário impactante acima não?? É o de A Serpente, que está no fim a da sua segunda temporada no Teatro Faap, dirigida por Eric Lenate essa que foi a última peça de Nelson Rodrigues tem no elenco: Carolina Lopez, Fernanda Heras, Mariá Guedes, Juan Alba e Paulo Azevedo.  Às sextas, às 21h30; aos sábados, às 21h; e aos domingos, às 18h. A peça encerra temporada no fim de semana que vem.

~> Quem também encerra temporada na semana que vem é Hollywood, essa que é a terceira parte da trilogia Mamet, os textos do dramaturgo sempre são dirigidos por Gustavo Paso, no elenco desse espetáculos estão Rubens Caribé, Luciana Fávero e Iuri Saraiva. No auditório do Sesc Pinheiros.  Lá os ingressos variam de R$7,50 à R$25. 




~> Acima você vê o teaser de Deise me ajuda, um curta para quem ta precisando de uma ajuda especial... Agora qual é essa ajuda?? Só vendo o filme... Protagonizado por Silvana Parente, os produtores estão negociando para passar nas salas de cinema. Esse colunista que vos escreve fez a produção de elenco do filme dirigido pelo chileno  Dan A. Rubio, e aí curtiu? E o Drops vai ficando por aqui!

***

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Tempo de se deleitar, porque Tempo de Amar é um deleite.

Por Rodrigo Ferraz

Alcides Nogueira é um dramaturgo de mão cheia, sou admirador de seus trabalhos no teatro e na TV e não é à toa. Seus personagens nunca são chapados, ele pode criar tipos maniqueístas, mas todos são muito humanos, e agora na novela das 6 não seria diferente.


O quadrado amoroso principal vemos quatro talentosos atores, os protagonistas Bruno Cabrerizo e Vitória Strada que interpretam respectivamente Inácio e Maria Vitória não poderiam ser melhor escolhidos. De fato Bruno já fazia novelas na Europa e Vitoria tinha feito cinema, mas o vigor deles parece que já tinham uma vasta carreira, alem da química que o casal têm, Vitória  quando tem cenas com Tony Ramos e Marisa Orth (seus pais na novela) sempre emociona e se não bastasse, são lindos. Nas pontas do quadrado vemos dois atores que por sinal já foram irmãos (em Chamas da Vida), apaixonados um pelo outro (em Liberdade Liberdade) e agora disputam os protagonistas, mas cada um a seu modo.

Lucinda, papel de Andreia Horta é descompensada, um incêndio graças a um feitiço que ela fez literalmente a marcou muito, faz de tudo pra separar o casal principal, Horta mais uma vez brilha como faz com frequência em sua carreira. Bruno Ferrari fez de seu Vicente um homem adorável, íntegro, companheiro e apaixonante, não é à toa que muitos ficam em dúvida entre quem seria o homem ideal pra protagonista, e Bruno definitivamente mostra uma evolução a cada papel que passa.


A direção artística da trama é de Jayme Monjardim, o diretor junto com Alcides não poderia escalar elenco melhor, sinceramente não vejo um erro de escalação e o diretor junto com a equipe de direção de arte capricharam nos cenários, se o diretor não quis o sotaque lusitano típico, (como preferiu em seus últimos trabalhos) está lá o português muito bem falado principalmente na terrinha. 

Ainda tem mais motivos pra se deleitar, a novela é atual mesmo sendo de época, o feminismo é muito bem abordado, vemos personagens reais importantes sendo interpretados, como Gilka Machado e pra deixar qualquer noveleiro babando ainda matamos as saudades de Ester Delamare, uma das mocinhas mais memoráveis da carreira de Malu Mader, personagem de Força de um Desejo (novela de Nogueira em parceria com Gilberto Braga). Agora gostaria de saber também o que acham da trama, eu não preciso nem dizer o quanto gosto depois de tudo que falei acima, não é?


***

Sobre o autor


-- 

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

DRoPs 52 - Novidades culturais, curtas e finas

Por Rodrigo Ferraz

No primeiro Drops do ano, vamos contar o que está previsto para os próximos 12 meses no teatro, então vamos começar contando o que estará em cartaz já em janeiro??


~> Depois de uma temporada bem sucedida em Portugal, os Guardas do Taj chega em cartaz em São Paulo no teatro Raul Cortez, Reynaldo Gianecchini e Ricardo Tozzi (que vive mais um indiano, assim como na novela Caminho das Índias) são dirigidos por João Fonseca e Rafael Primot. A estreia está marcada pra dia 13 de janeiro, Sexta e Sábado 21h e Domingo 18h, e os ingressos vão variar de R$30 à R$80.

~> L, o Musical, é uma peça dirigida e escrita por Sérgio Maggio celebra o amor entre mulheres ao som de vozes femininas da MPB. Com Elisa Lucinda, Ellen Oléria, Renata Celidonio, Gabriela Correa, Tainá Baldez e Luiza Guimarães, a peça que estreia no sábado agora estará em cartaz no CCBB, os ingressos no valor inteira custarão 20 reais. Sábados e Segundas 20h e Domingos 19h.

~> O Porteiro é o segundo monólogo do ator Alexandre Lino, quer ver um trechinho?? Basta clicar aqui.

A peça estará em cartaz no Teatro Jardim Sul aos Sábados às 21h e Domingos 19h, os ingressos custam R$60 (inteira) e R$30 (meia).

~> Quem também estreia em janeiro são Renato Borghi e Miriam Mehler, eles aos 80 anos estão estreando uma nova adaptação de Romeu&Julieta 80! Vai ser no dia 18 de janeiro no Sesc Ipiranga, Sexta e Sábado 21h e Domingo 18h, os ingressos vão de R$9 à R$30.


~> O diretor Jorge Farjalla depois de Doroteia dirige outro clássico de Nelson Rodrigues: Senhora dos Afogados, no elenco: Rafael Vitti, Alexia Dechamps, João Vitti e Letícia Birkheuer, entre outros,  ocupa o Teatro Porto Seguro a partir de 23 de fevereiro.

~> Dois clássicos infantis que já foram até desenhos da Disney vão virar musicais em solos paulistanos, Peter Pan será vivido por Mateus Ribeiro, Daniel Boaventura será o capitão Gancho no Teatro Alfa a partir do dia 8 de março e Fabi Bang é a protagonista de Pequena Sereia, Tiago Abravanel viverá o caranguejo Sebastião, será no Teatro Santander estreia em 31 de março no Teatro Santander.


~> Love, Love, Love foi das peças mais elogiadas da temporada passada no Rio de Janeiro, chega em São Paulo dia 23 de março no Teatro Vivo, Eric Lenate dirige Débora Falabella e Yara de Novaes, entre outros, no texto de Mike Bartlett, Na peça a tregetória de uma família entre 1967 e 2014.

~> Panorama Visto da Ponte é um texto clássico de Arthur Miller, dirigido por Zé Henrique de Paula, com previsão de estreia pra abril no Teatro Raul Cortez, o elenco é liderado por Rodrigo Lombardi e Sergio Mamberti.


~> Leonardo Miggiorin e Rosi Campos já haviam feito a comédia La Mamma, agora farão o drama O Louco e a Camisa, vão ser dirigidos por Elias Andreato. Em abril eles vão chegar no Teatro Porto Seguro.

~> 1984: Carmo Dalla Vecchia, Rodrigo Caetano e Eric Lenate estão no elenco dirigido por Zé Henrique de Paula na adaptação do romance de George Orwell que entra em cartaz em maio.


~> Madrinha e afilhada, Maria Maya dirigira o monólogo Através da Iris com Nathalia Timberg, ela interpretara a americana Iris Apfel, ícone do mundo fashion previsão de estreia é em julho no Teatro Porto Seguro.

~> Sergio Guizé e Maria Manoella vão portagonizar Macbeth, dirigidos por Nelson Baskerville, a peça que tem vários personagens terá só 4 atores possivelmente estreará em agosto.


~> Leandra Leal e Claudia Abreu tinham previsão de estrear ano passado Insana, ainda pretendem estrear a peça só que agora esse ano e provavelmente estará em cartaz no Teatro Porto Seguro.

É muita coisa prevista não?? E claro que ainda tem mais, e eu continuarei informando vocês, mês a mês por aqui!


***

Sobre o autor

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...