segunda-feira, 28 de abril de 2014

#ENTREVISTA com Gabriela Mo, conheça a fotografa que assim como Marina de Em Família, realiza ensaios nus.



Por Raul Santos

“O Cabide Fala” teve o prazer de realizar uma entrevista, com a fotografa gaúcha Gabriela Mo.  A jovem e talentosa artista, além de jornalista se destaca na fotografia, principalmente pelos belos e sensíveis ensaios nus que realiza com mulheres. Ao explorar a sensualidade e beleza de suas modelos, através das câmeras, Gabriela com um olhar sensível causa impacto pela qualidade de suas fotos, o que a faz construir um estilo singular, imprimindo sua personalidade em seu trabalho.


Um trabalho semelhante na ficção é feito pela personagem Marina, interpretada por Tainá Müller em “Em Família”, a qual também realiza ensaios nus. E para conhecer mais sobre a Gabriela Mo, abaixo segue uma entrevista sobre a carreira e seu trabalho:
Em que momento você decidiu ser fotógrafa?
Ser fotógrafa nunca foi meu objetivo. Eu gostava de desenhar, escrever. A fotografia é um meio que encontrei de me expressar, de colocar para fora sentimentos.
E, de certa forma, foi o caminho mais fácil. Meu pai é fotógrafo, meu primeiro trabalho foi (por coincidência do destino) em um estúdio de fotografia. Estudei Jornalismo, onde desenvolvi e pratiquei de fato a técnica... 
Mas se eu não tivesse tido o acesso que tive naturalmente, eu teria estudado pintura, por exemplo, e me encontrado em outra área artística. A fotografia para mim é como música, poesia... Às vezes ainda tenho vontade de passear por outras áreas, mas não tenho talento e sou um pouco acomodada.

E a vontade de fotografar ensaios nus, como surgiu?

Surgiu naturalmente. Eu aprendi a fotografar fazendo autorretratos, e as coisas foram evoluindo até aqui. Quando eu faço um ensaio nu, eu estou de uma maneira ou de outra me fotografando também, me expondo. Acho que tem um pouco de mim por ali sempre. Talvez nunca tenha deixado de ser um autorretrato.
Por se tratar de ensaios nus, já aconteceu casos de preconceito? Já julgarem como pornografia?
Existe muita gente que pensa diferente de mim, que deve achar o meu trabalho pornográfico. E eu respeito pessoas que tiveram uma vivência distinta e mantém crenças paralelas as minhas. Mas não é o tipo de gente que chega até o meu trabalho, que me procura. Então eu nunca me senti vítima de preconceito, pelo contrário.
E acho que o nu tem relação direta com a sexualidade, então não enxergo isso como um problema. Existe uma diferença entre sexo e pornografia e eu é difícil cruzar essa linha, tem que querer, e esse não é o meu estilo nem o meu alvo no momento.
Nas fotos, geralmente as modelos estão em suas próprias casas, para causar mais conforto no ensaio. Você já fez algum ensaio do gênero, em outro cenário, ou mesmo em estúdio?
Muitos dos ensaios são feitos nas casas das modelos porque gosto de expor a personalidade das meninas nas imagens usando outros elementos, a decoração, por exemplo. Então procuramos juntas cenários com os quais elas se identifiquem. Várias vezes esses locais são os quartos delas, mas nem sempre é assim. Já fotografei em outras locações sim, diversas vezes.
 Eve Weigel: ensaio realizado na casa da modelo.
Na atual novela das 21hrs, “Em Família” temos a personagem Marina (Tainá Müller), que realiza um trabalho bem semelhante ao seu. O que você acha dessa exposição?
Não acompanho novela, mas algumas pessoas vieram até mim comentando da semelhança. Acho legal mesmo.
Já realizou alguma exposição? Se sim, como ocorreu, e qual foi à recepção do público?
Já fiz exposições sozinha e em conjunto com outros fotógrafos e sempre foi uma experiência positiva. Queria poder ser mais organizada para realizar algumas mostras. Tenho muito material guardado. Também queria organizar meu trabalho e fazer um livrinho, mas sou um pouco preguiçosa. Precisaria de ajuda.
Você se destaca e obteve reconhecimento pelos ensaios nus. Mas já trabalhou, ou pretende trabalhar, na fotografia com outro gênero?
Já fiz muita coisa relacionada à fotografia. Ensaios de moda, publicidade, fotojornalismo e até eventos. Algumas coisas faço até hoje, mas só aquilo que acho que tenha a ver comigo de verdade. 
Existe algum tipo e estilo de pessoa que mais lhe fascina?
Para fotografar? Eventualmente me sinto inspirada por algum filme que vi, um livro que li ou um disco que ouvi, e vou atrás de alguém no Facebook. Já convidei várias pessoas que não conhecia para serem modelos das minhas fotografias. Não existe um estilo de pessoa específica, e sim um momento no qual estou vivendo. Ou até uma personalidade que me fascine.
Mayza uma de suas modelos
Nosso colunista Rodrigo Ferraz também encaminhou uma pergunta. Há alguém no meio artístico em que você tem vontade de trabalhar?
Quase todo mundo. Pessoas talentosas são inspiradoras.
O que diria para as mulheres que tem vontade de fazer um ensaio como este, mas sente repressão pelos possíveis comentários dos familiares, e colegas?
Como eu disse antes, as pessoas são diferentes, tiveram criações diferentes e têm pensamentos distintos. Eu não sou dona da verdade. Se uma mulher for brigar com a família para fazer um ensaio comigo, não acho que ela deva fazer. Tem coisas mais importantes na vida do que fazer fotos sensuais, e uma delas é não machucar as pessoas que nos amam e que amamos. São escolhas.
Mas nem todos os meus trabalhos envolvem tirar a roupa, então para essas mulheres, eu diria para virem falar comigo de qualquer forma que desenvolvemos em algo criativo juntas.
****** 
Para conhecer mais sobre o trabalho de Gabriela Mo, indicamos a visita ao site da artista, onde encontrará diversos ensaios.   E também em sua página oficial no Facebook, local para encontrar novidades sobre seu trabalho.

Um comentário:

  1. Grande entrevista,personagem instigante,continue com posts assim mascote;]]

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação e presença! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...