quinta-feira, 14 de março de 2019

O Multi Uso Cleyton Cabral em Entrevista

Por Rodrigo Ferraz


Cleyton Cabral é daqueles que são multi uso, ator, escritor, assessor de cultura, publicitário... Ele quer se comunicar, como ele mesmo diz na sua entrevista! Nosso papo fala de seus projetos atuais e dos futuros, ele que é pisciano não poderia deixar de falar sobre os sonhos dele! Nessa sexta, ele lança o livro Planta Baixa, uma série de contos, mini contos e micro contos pela editora Patuá. Sem mais enrolação, vamos ver nosso bate papo?

Você é escritor, ator, assessor de cultura, publicitário,deve ter outras funções, como você se define profissionalmente? Alguma função te empolga mais?? 
Sou bombril. 1001 utilidades.  Eu sou comunicador. Estou envolvido em projetos que toquem o outro. Seja na publicidade, no teatro ou na literatura, o afeto precisa estar em jogo.

Você tem um solo que fala sobre homossexualidade não? Fale um pouco mais sobre...
Sim. Eu gostaria de não precisar falar de homofobia. Mas vivendo no país onde mais  se mata pessoas LGBTQI+ no mundo, eu não poderia ficar calado. E o teatro tem esse poder do diálogo, de chegar no outro, construir pontes. A peça trata da homofobia e suas consequências revelando memórias pessoais minhas misturadas às experiências coletivas


(Solo de Guerra, peça citada acima)

Agora me fale sobre seu livro, conte tudo para nosso site o que pode esperar seus leitores!
Então, eu ganhei menção honrosa com o Planta Baixa no I Prêmio Pernambuco de Literatura, em 2013. De lá pra cá deixei guardado Daí rolou essa “paquera” com a Editora Patuá. Eduardo Lacerda resolveu editar. O livro é um diagrama dos relacionamentos. Os contos são divididos por capítulos (cômodos de uma casa): jardim, terraço, sala, quarto, cozinha e banheiro. Os contos contém o clima de cada cômodo. O leitor também constrói sua narrativa Segue texto da orelha, feita por um poeta recifense, Raimundo de Moraes: Cleyton Cabral. Os contos são divididos por cômodos (capítulos). O livro é um diagrama dos relacionamentos ambientado em: jardim, varanda, sala, quarto, cozinha e banheiro, cada cômodo representando uma emoção ou um recorte da realidade. Planta Baixa se constrói através da própria perspectiva do leitor, pois os capítulos se interligam não pelos temas, mas pelo que está ou não está contido em cada cômodo. Porque o vazio, implicitamente, poderá ser mais um cômodo. Escondido entre corredores e janelas. 

Por ser dramaturgo, você imagina que esses contos dariam uma dramaturgia também? Se sim, você imagina para teatro? Audiovisual?? 

Meus textos são muito teatrais. Talvez pelo fato de eu ser ator e escrever pensando na embocadura do ator. Gosto de ler em voz alta o que escrevo, para que saia natural. Alguns grupos têm adaptado contos meus para teatro. 

O que o publico de teatro paulistano terá de presente seu em março?
 Tive a felicidade de dois textos meus de teatro terem sido selecionados para se juntar a outras oito dramaturgias de autores de todos os lados do Brasil. Se tratava do I Texto em Cena, da Cia. Paradóxos (SP). O grupo fez leituras dos 10 textos e escolheu entre eles um para montar Escolheram o meu texto adulto “Desculpe o atraso, eu não queria vir”. Eu ganhei segundo lugar com esse texto bum prêmio de dramaturgia do governo de Pernambuco ano passado. “Desculpe o atraso, eu não queria vir”. A peça propõe um mergulho na subjetividade de uma travesti no seu passado e como as questões de pessoas que não se enquadram  nos padrões heternormativos são negociadas na sociedade atual. Foi lida por uma atriz trans. A  direção é do Mário Goes com Fábrio Mraz.



Você é um pisciano que arregaça as mangas e realiza seus sonhos! Tenho duas  perguntas a respeito, mas vamos a primeira qual foi seu maior sonho já realizado??
Eu realizo pequenos sonhos todos os dias. Incluindo os sonhos de padaria!

Sonhos deixam a vida mais doce... E um sonho utópico, qual você gostaria de realizar??
Eu gostaria de passar uma tarde com Hilda Hilst, Clarice Lispector, Caio Fernando Abreu, Caetano Veloso, Ney Matogrosso e Gal Costa. É pedir muito?

E quem você gostaria que interpretasse seus textos?? 
Eu ficaria bem feliz em ver Marco Nanini ou Fernanda Montenegro lendo algo meu!


O livro acima, Planta Baixa será realizado no dia 15 de março, nessa sexta feira  a partir das 19h, no Gabinete Português de Leitura, Rua do Imperador II, 290 – Santo Antônio – Recife. O livro custa R$40.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação e presença! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...